24 de fev de 2012

O DIREITO DE DIRIGIR BEBADO - UM DOCUMENTÁRIO SOBRE A LEI SECA


Trata-se de um documentário sobre a Lei Seca Brasileira produzido pelo PRF potiguar Filipe Costa . Este trabalho é dividido em oito partes entres as quais se aborda: dimensionamento do problema, comparação da legislação brasileira com a de países desenvolvidos, análise crítica das propostas de alteração legislativa e um modelo propositivo pro Brasil. 

********
Nota do Blog: Parabéns ao PRF Filipe pelo excelente documentário. Espero que muitas pessoas assistam e tirem suas próprias conclusões. Várias vidas são ceifadas pela perigosa combinação álcool + direção no Brasil. Que a consciência e o bom senso façam parte da vida de cada motorista e que vidas sejam salvaguardadas pelos guardiões e fiscalizadores das leis.

Lei Seca, nós da PM-RN apoiamos!



Um comentário:

  1. Excelênte a ação da PM onte a noite no NOVO HORIZONTE,estava insulportavél o barulho de 2 carros com o som ligado nos quiosques,a PM deveria fazer rondas alternativas todos os dias no Novo Horizonte, porque é um absurdo a baderna de carros com os sons ligados, não tem dia, não tem hora para essa bagunça e coisa séria, a LEI SECA está ai para as outoridades cumprir suas determinações,os motorista chegam começam a beber, e fica por isso mesmo muitas das vezes até com crianças, gostaria que a PM agisse com rigor com essas pessoas que estão sempre colocando a vida de terceiros em risco, cumpram a LEI e determine o que ela manda, que a qualidade de vida da maioria dos moradores do bairro melhora, estive conversando com pessoas, e muitas delas acha isso uma falta de respeito com os IDOSOS, e com as pessoas doente. Outro problema são as motos de madrugada com os canos sem os miolos fazendo barulhos, vamos acabar com isso, vamos ter paz, vamos ter tranquilidade em nosso bairro, mostrar que somos civilizads, e não permitir que outros venham bagunçar aqui, vamos ligar prá PM quantas vezes forém necessário. Vreadores Luiz Negão e Luizinho Professor ajude a nossa população dê exemplo.

    ResponderExcluir